• Vegano Periférico

Ser antivacina em plena pandemia é um crime. Considere o veganismo e vacine-se

''Nós veganos e veganas somos antivacina, não tomamos vacina pois os animais são explorados no processo''. Isso é o que dizem por aí. Adoram falar de veganismo de forma rasa, preconceituosa e sem nenhum embasamento.



Realmente há um nível de exploração animal no processo da vacina, e sabemos disso. E lutamos para que isso mude um dia, para que a tecnologia possa substituir o uso lamentável de animais nesse processo. Mas sabemos o quão complexo isso é. A nossa postura enquanto veganos, antiespecistas, que tem respeito pela vida de todas espécies é de se opor e lutar contra toda forma de exploração animal. Mas devemos ser racionais e compreender a complexidade das coisas. Você tomar a vacina contra a covid-19 não é uma atitude incoerente, pois não se trata de uma questão meramente pessoal, estamos falando de uma doença altamente transmissível que está matando milhares de pessoas no mundo todo.



Que fique bem claro: O veganismo que praticamos toma vacina e tomará a vacina contra a covid-19. Por uma questão de responsabilidade social, por uma questão de saúde coletiva e respeito pelos demais seres humanos. Além de tudo, a propagação da antivacina é responsável pelo genocídio da população mais pobre e vulnerável.




Em contrapartida, continuaremos lutando e cobrando mudanças no que diz respeito ao uso de animais no meio científico. Nós queremos o fim do uso de animais em todas as esferas.


Mas não dá pra fechar os olhos e viver no mundo de conto de fadas, infelizmente o mundo se estabeleceu e ainda vive em cima da exploração de bilhões de animais. Não é se opondo à vacinação nesse momento tão caótico que vamos tocar nos pilares da exploração animal. Essa atitude não passa de um boicote falho. Ao nosso ver, ser antivacina é uma falta de responsabilidade social e noção de realidade. O buraco é bem mais em baixo.


Há muito trabalho pela frente. Nós temos total consciência de que tudo está em constante mutação e que as coisas estão mudando gradativamente, não vai ser de hoje pra amanhã que as coisas vão mudar e se transformar completamente. É necessário ter os pés no chão.


O trampo é diário, coletivo e requer muita, mas muita paciência e sabedoria.